Entendendo a Teoria do Traço da Liderança

Entendendo a Teoria do Traço da Liderança
4.1 (82.35%) 34 votes

A teoria do traço se concentra na identificação de diferentes e características que estão ligadas à liderança bem sucedida em uma variedade de situações. Essa linha de pesquisa emergiu como um dos primeiros tipos de investigações sobre a natureza da liderança efetiva e está ligada à primeira proposta por Thomas Carlyle em meados do século XIX.

Justificativa

Segundo Carlyle, a história é moldada por líderes extraordinários. Essa capacidade de liderar é algo com que as pessoas simplesmente nascem, acreditava Carlyle, e não algo que pudesse ser desenvolvido. As idéias de Carlyle inspiraram pesquisas iniciais sobre liderança, que quase inteiramente focavam em traços hereditários.

A teoria da liderança de Carlyle foi baseada na razão de que:

  • Certos traços produzem certos padrões de comportamento.
  • Os padrões são consistentes em diferentes situações.
  • As pessoas "nascem" com traços de liderança.

Ainda hoje, livros e artigos apresentam as várias características necessárias para se tornar um grande líder, sugerindo que a liderança é de alguma forma predestinada em alguns (ou pelo menos é mais provável), enquanto improvável, se não impossível, em outros.

Desde a publicação da tese de Carlyle, outros psicólogos examinaram a teoria da liderança baseada em traços.

Entre os anos 1940 e 1970, o psicólogo Ralph Melvin Stogdill sugeriu que a liderança é o resultado da interação entre o indivíduo e a situação social e não apenas o resultado de um conjunto pré-definido de características.

Logo depois, na década de 1980, James M. Kouzes e Barry Z. Posner postularam que a credibilidade era um indicador-chave das habilidades de liderança, caracterizada por características como ser honesta, voltada para o futuro, inspiradora e competente.

Traços de Liderança

Embora a lista de características de liderança possa variar de acordo com quem está elaborando a lista, um membro da Espanha delineou traços comportamentais que separaram os supervisores de nível inferior dos supervisores de nível superior. Segundo os pesquisadores, os traços mais comumente associados a uma grande liderança incluem:

  1. Inteligência e julgamento orientado para a ação: Grandes líderes e inteligentes e fazem escolhas que movem o grupo para frente.
  2. Ânsia de aceitar a responsabilidade: Líderes fortes assumem responsabilidade e não passam a culpa para os outros. Eles mantêm seu sucesso e se apropriam de seus erros.
  3. Competência de tarefas: Um grande líder é habilidoso e capaz. Os membros do grupo podem procurar o líder para um exemplo de como as coisas devem ser feitas.
  4. Entendendo seus seguidores e suas necessidades: Líderes eficazes prestam atenção aos membros do grupo e genuinamente se preocupam em ajudá-los a ter sucesso. Eles querem que cada pessoa do grupo seja bem-sucedida e desempenhe um papel em levar o grupo inteiro adiante.
  5. Habilidades de pessoas: Excelentes habilidades interpessoais são essenciais para liderar de forma eficaz. Grandes líderes sabem como interagir bem com outros líderes, bem como com os membros da equipe.
  6. Uma necessidade de realização: Líderes fortes têm a necessidade de ter sucesso e ajudar o grupo a alcançar seus objetivos. Eles genuinamente se preocupam com o sucesso do grupo e estão comprometidos em ajudar o grupo a alcançar esses marcos.
  1. Capacidade de motivar pessoas: Um grande líder sabe inspirar os outros e motivá-los a dar o melhor de si.
  2. Coragem e resolução: Os melhores líderes são corajosos e comprometidos com os objetivos do grupo. Eles não se escondem dos desafios.
  3. Perseverança: Líderes fortes se apegam a ele, mesmo quando as coisas ficam difíceis ou o grupo enfrenta obstáculos significativos.
  4. Confiabilidade: Os membros do grupo precisam ser capazes de confiar e confiar na pessoa que os lidera.
  5. Decisões: Um grande líder é capaz de tomar uma decisão e está confiante em suas escolhas.
  6. Auto confiança: Muitos dos melhores líderes são extremamente seguros. Por serem confiantes em si mesmos, os seguidores muitas vezes começam a compartilhar essa autoconfiança.
  7. Assertividade: Um grande líder é capaz de ser direto e assertivo sem se mostrar excessivamente agressivo ou agressivo.
  8. Adaptabilidade e flexibilidade: Líderes eficazes não ficam presos em uma rotina. Eles são capazes de pensar fora da caixa e se adaptar rapidamente a situações de mudança.
  9. Estabilidade emocional: Além de serem confiáveis ​​em geral, os líderes fortes são capazes de controlar suas emoções e evitar reações exageradas.
  1. Criatividade: Talvez o mais importante, os grandes líderes não apenas possuem sua própria criatividade, mas também podem estimular a criatividade entre os membros do grupo.

Controvérsia

Os primeiros estudos sobre liderança enfocaram as diferenças entre líderes e seguidores com a suposição de que pessoas em posições de liderança apresentariam mais traços de liderança do que aquelas em posições subordinadas.

O que os pesquisadores descobriram, no entanto, foi que havia relativamente poucos traços que poderiam ser usados ​​para distinguir entre líderes e seguidores. Por exemplo, os líderes tendem a ser mais altos em características como autoconfiança e altura, mas essas diferenças tendem a ser pequenas.

Existem falhas óbvias na teoria baseada em traços. Enquanto os proponentes sugerem que certos traços são característicos de líderes fortes, aqueles que possuem os traços nem sempre se tornam líderes.

Alguns sugeriram que isso pode ocorrer porque as habilidades de liderança só surgem quando surge uma oportunidade de liderança (como na guerra, durante uma crise política ou na ausência de liderança).

Enquanto isso, outros adotaram uma abordagem de contingência à liderança na qual certas características podem ser mais eficazes em algumas situações e menos em outras. As opiniões variam de acordo com o que essas características são e em que grau elas podem prever o sucesso, se é que são.

Liderança na Era da Internet

Mais controverso ainda é a alegação de que algumas pessoas não têm os traços para se tornarem líderes. Tal crença negligencia inerentemente desigualdades sociais e econômicas que limitam, se não apagam inteiramente, o potencial de uma pessoa para liderar.

Também ignora a economia em mudança e como a liderança é definida quando as conexões são feitas online e offline.

Como os pontos de venda para a liderança continuam a mudar (como nas mídias sociais e no comércio eletrônico), os traços necessários para o sucesso são diferentes simplesmente porque há menos intermediários. Dentro deste reino, a capacidade de influenciar é, sem dúvida, mais importante do que a capacidade de liderar.

Uma palavra de Verywell

Embora esses traços estejam freqüentemente ligados à liderança efetiva, é importante notar que poucos líderes possuem todas essas características. Geralmente, um líder forte terá muitas dessas qualidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *